domingo, 2 de outubro de 2011

SARAU ROSA - Outubro Rosa



                   O projeto CAFÉ EM VERSO E PROSA tem como tema uma causa, trata-se do “Sarau Rosa” em menção ao “Outubro Rosa”. Movimento que acontece no mundo inteiro. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro. No Brasil a primeira iniciativa aconteceu em 2002 quando o Obelisco do Ipiranga foi iluminado de rosa. Assim vários monumentos do Brasil como o Cristo Redentor (RJ), Opera de Arame (PR), Barra Nova (CE), Memorial JK (DF) e muitos outros já receberam a iluminação rosa pelo evento no mês de outubro.

                    Em outubro de 2011, novamente as entidades relacionadas ao câncer de mama e empresas se unem para expandir a campanha. E neste mês por iniciativa da empresária Rosana Porpino que procurou Suzy Lopes organizadora do “Café em Verso e Prosa” para sugerir o movimento como tema, e desta forma teremos mais uma ação do “Outubro Rosa” em nossa capital. “Fiquei muito feliz com a proposta de Rosana, até pelo fato de que embora seja um movimento que acontece no mundo inteiro, aqui em nossa cidade ainda é pouco conhecido, e me sentir fortalecendo um evento como este me faz muito feliz” Diz Suzy que adianta que a noite rosa do sarau além de ser cor de rosa terá como figura central a mulher, sua performance de abertura trará Elisa Lucinda, Viviane Mosé, Cora Coralina, Florbela Espanca, Janice Japiassu, Alice Ruiz, Cyelle Carmen que lançou recentemente um livro com poemas chamado “Luzes de Labirinto” pela CBJE – Câmara Brasileira de Jovens Escritores.

                      Como convidados o Café em Verso e Prosa receberá Rosana Porpino, a cantora paraibana Cida Alves, o compositor/cantor Geovan Morais. A dança também estará presente com três apresentações: Nyka Barros, Aretha Paiva e Flávia Galvão. O teatro será representado por Daniel Porpino e pela Cia. Dos Truques com a performance “Ritual”. A noite ainda terá a presença de Hector Morais, um garoto de 12 anos recitando poemas de sua autoria. Estarão presentes também os Amigos do Peito e a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Mama.



SERVICO:

Café em Verso e Prosa apresenta: SARAU ROSA

Terça-feira, 04 de outubro de 2011 às 20:30

Empório Café (Por trás da Feirinha de Tambaú)

Informações: 8801-8533

segunda-feira, 16 de maio de 2011

SÉRGIO FANTINI lança livro no Café em Verso e Prosa



O escritor mineiro Sérgio Fantini lançará, neste mês de maio, o livro “SILAS”. O lançamento em João Pessoa, será dentro do projeto Café em Verso e Prosa, sarau organizado pela atriz Suzy Lopes que comemora seis anos acontecendo mensalmente no Empório Café na praia de Tambaú e terá a participação especial do Grupo Teatrália e Chico Limeira.

Sérgio lança seu livro em Belo Horizonte e sai em turnê nacional, passando por Salvador, Natal, Fortaleza, São Paulo, Rio de Janeiro e João Pessoa. Em nossa cidade o escritor será recepcionado para seu lançamento no Café em Verso e Prosa, o Grupo Teatrália com a performance “Ensaios Fotográficos” de Manoel de Barros, convidado pela atriz organizadora do evento que completou mês passado seis anos de atividade. “Vi esta possibilidade, quando conversando com Sérgio, ele me falou que Manoel de Barros estava na orelha de seu livro. Não pensei duas vezes e convidei o Grupo Teatrália, pois é intuito do projeto agregar mais valores em suas noites e proporcionar a integração entre artistas.” Acrescentou Suzy Lopes.

Sérgio Fantini nasceu em Belo Horizonte, onde reside. A partir de 1976, publicou zines e livros de poemas; realizou shows, exposições, recitais e performances. Tem textos nas seguintes antologias: Revista Literária da UFMG, Novos Contistas Mineiros (Mercado Aberto), Contos Jovens (Brasiliense), Belo Horizonte, a Cidade Escrita (ALMG/UFMG), Temporada de Poesia/Salto de Tigre (PBH), Miniantologia da minipoesia brasileira (PorOra), Geração 90, Manuscritos de Computador (Boitempo), Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século (Ateliê), Contos Cruéis (Geração), Quartas histórias, contos baseados em narrativas de Guimarães Rosa (Garamond), Cenas da favela – as melhores histórias da periferia brasileira (Geração/Ediouro), 35 maneiras de chegar a lugar nenhum (Bertrand Brasil), Capitu mandou flores - contos para Machado de Assis nos cem anos de sua morte (Geração), Pitanga (Lisboa, Portugal) e 90-00 - cuentos brasileños contemporáneos (Ediciones Copé, Peru). Publicou os livros Diz Xis, Cada Um Cada Um, Materiaes (Dubolso), Coleta Seletiva (Ciência do Acidente), A ponto de explodir e Camping Pop (Yiyi Jambo, Paraguai).

“Ensaios Fotográficos” marca a volta do Grupo de Encenações Poéticas Teatrália ao cenário cultural de João Pessoa-PB. Fundado pelas atrizes Dora Limeira, Sônia Sales e Suzy Lopes em 1999, o grupo vem sendo apoiado por amigos e companheiros da arte nesta retomada.

No palco estão os poetas, músicos e atores intérpretes: Ivo Limeira, Ana Valentim, Elba Góes, Nara Limeira, Matteo Ciacchi e Gustavo Limeira. Além destes, para a apresentação no sarau do Empório Café, o grupo contará com a participação especial do músico Chico Limeira. Todos amantes da poesia, transpondo para a cena as infinitas possibilidades de construção de imagens a partir da inspiração lírica.

O espetáculo debruça-se sobre a poesia de Manoel de Barros, poeta mato-grossense nascido em Cuiabá – MT, em 1916, cuja obra é feita de uma poesia simples e apaixonante. Fala do homem integrado à natureza, sem deixar de lado as relações sociais e as suas angústias frente às questões como fome, pobreza e exclusão social, por exemplo. O poeta Manoel é um homem enigmático, um homem que se desvela pelas palavras, mas preserva o mistério. Ou seja, como ele mesmo se define: “Me exibo através de ficar sob as cinzas. Sou sempre uma pose falsa tirada no escuro. Me exibo de costas. Eu faço o nada aparecer.”

Assim como o poeta, o espetáculo busca desvelar a nudez da alma, com suas divindades, sublimações e inquietudes. Assim, o Teatrália busca trazer um olhar sensível sobre as infinitas possibilidades de leitura dos poemas deste grande representante da boa poesia brasileira, Manoel de Barros.

terça-feira, 10 de maio de 2011

O REI, A SOMBRA E A MÁSCARA no dia!

Foi ótima a noite em que recebemos o escritor pernambucano Sidney Niceas para o lançamento de seu livro, tivemso na mesma noite a performance na abertura da noite do ator também pernambucano Junior Aguiar. E a participação de todos como sempre abrilhantando a noite! Confiram as fotos!

                                          A atriz Suzy Lopes com o livro

                                          Junior Aguiar na performance na abertura do lançamento

                                          Daniel Porpino, sempre presente

                                          Sidney Niceas, Suzy Lopes e Junior Aguiar

Obrigada a todos que sempre se fazem presentes no sarau. A toda imprensa paraibana que sempre nos dá um lindo e importante apoio. e vamos que dia 17 de maio tem mais! Aguardem!

sábado, 9 de abril de 2011

O REI, A SOMBRA E A MÁSCARA

CAFÉ em VERSO e PROSA comemorando seus seis anos apresenta:


“O REI, A SOMBRA E A MÁSCARA”

Lançamento do livro e do curta-metragem do escritor pernambucano SIDNEY NICEAS

Dia: 12 de abril de 2011

Hora: 20:30

Local: Empório Café


video






O REI, A SOMBRA E MÁSCARA - O LIVRO

Com 270 páginas, o livro é dividido em três partes: Parte I – A Moral da Aceitação; Parte II – A Moral da Inevitabilidade; Parte III – A Moral da Moral.

O conteúdo é uma fábula, contendo personagens que retratam o homem e a vida em sociedade. O “Rei” personifica cada ser humano vivente na dualidade terrena. E, na sua jornada, descobre o sentido de estar vivo.

São mil livros produzidos de forma independente, com apoio fundamental da Gráfica Flamar, dos Armazéns Gerais Estrela, da Livraria Jaqueira, da Sorvetes Zeca’s, da AABB Recife e da Multicopy.

Com design gráfico e projeto editorial arrojado, desenvolvido pela Rae Assessoria de Comunicação, o livro está sendo trabalhado no Recife e em outras cidades brasileiras.

_________________________




O REI, A SOMBRA E MÁSCARA - O CURTA

O curta-metragem é baseado no texto introdutório do livro. Nele, o personagem se percebe num intrigante embate interior, que o conduz a inevitável constatação diante do espelho, a de que ele é feito de luz e sombra, ideia central de todo projeto. O roteiro prevê a duração aproximada de 10 minutos, intercalando imagens em locações diversas.

O ator Júnior Aguiar é o único a aparecer em cena e dá um show de interpretação ante as inquietações da narrativa, num filme produzido com total apoio da Center Produções. O roteiro e a direção são assinados pelo escritor Sidney Nicéas.

Vale destacar que a trilha original do curta é uma composição instrumental inédita do Maestro Spok, que, com seu Sax inconfundível, deu uma sonoridade toda especial ao filme.

O curta tem participado de festivais de cinema pelo país.

________________________________
JUNIOR AGUIAR
O ator pernabucano atua no curta do livro que será exibido e estará presente no lançamento fazendo performance.
__________________________________



SIDNEY NICEAS

Recifense orgulhoso da sua terra. Filho da poetisa Wolda Nyria e do Promotor de Justiça José Luiz de Oliveira Júnior. Pai de Victor Hugo. Homem em busca do ‘mais’…

É dono da Rae Assessoria de Comunicação. Sobrinho de Cléo Nicéas, um dos grandes nomes da comunicação do Estado, e neto do falecido jornalista Amarílio Nicéas, famoso na era de ouro do rádio.

Iniciou sua jornada literária em 1995, quando escreveu a peça “Cinzas da Paixão”, encenada no Recife e em João Pessoa (PB). Em 2004 lançou seu primeiro livro, “O Que Importa é o Caminho”, edição independente reunindo poesias, contos e crônicas que se interligam através do tema: encontrar em si o caminho para o êxito na vida.

Em 2006 foi homenageado pelo SESC através do projeto Poetas da Terra, onde foi encenada a peça “O Divino Caminho”, dirigida por Eron Vilar, baseada na obra do autor. Em 2008 lançou o Blog De2em2… , onde publica suas crônicas e contos sempre com uma visão incisiva do ser humano e do cotidiano.

Tendo o ser humano e a vida coletiva como foco do seu trabalho, lança agora a fábula “O Rei, a Sombra e a Máscara”, livro e curta-metragem homônimos (produzidos também de forma independente), e continua escrevendo – já possui três outros livros que em breve serão lançados.

Mais informações podem serem adquiridas em seu site:

http://www.sidneyniceas.com.br/

                                                   _________________________________




            O CAFÉ em VERSO e PROSA é um sarau organizado pela atriz Suzy Lopes desde abril de 2005. Acontece mensalmente no Empório Café e já faz parte do cenário cultural da cidade. Este ano em comemoração aos seus seis anos, está sendo agregado novos valores ao seu formato, trás para João Pessoa o escritor pernambucano Sidney Niceas para lançar seu livro, com exibição de seu curta conjunto ao livro e performance da atriz Suzy Lopes.

                                                _________________________________


SUZY LOPES


Suzy Lopes é natural de Cajazeiras, estuda Bacharelado em Teatro pela Universidade Federal da Paraíba, estreou no teatro paraibano em 1995 com “Ventos do Amanhecer em Macambira” direção de Roberto Cartaxo. Participou das seguintes montagens: Morte e Vida Severina (Dir. Marcos Montenegro - 1996), Dor, Suor e Sangue (Francisco Hernandes – 1997), As Esposas (Tarcisio Pereira – 1998). Em 1999 foi convidada para a Rataplan Cia. Das Artes no espetáculo Chapeuzinho Amarelou (Dir. Isaú Firmino) pelo qual ganhou os prêmios de Melhor Atriz – III Mostra Estadual de Teatro para Crianças – 1999, Troféu Imprensa Paraibana de 2001 e Melhor Atriz – II Festival de Teatro de Gauçuí – 2001. Pela mesma companhia dividiu a direção com Isaú Firmino em Hello Boy em 2002 com Mayana Neiva e Netto Ribeiro. Em 2003 a Rataplan montou Espelho, Espelho Meu que rendeu a atriz novos prêmios: Melhor Atriz – IV Festival de Teatro d Guaçuí – 2003, Melhor Atriz – III Feneteg (Festival Nordestino de Teatro de Guarabira – 2004) e Melhor Atriz – 12º Mostra Estadual de Teatro e Dança – 2005. Em 2006 com parceria do ator Netto Ribeiro e montou o Projeto 15 no qual montaram os seguintes musicais: Vila Cazuza (2006), Gota d’agua (2006), Cabaré, a Opera do Chico (2009). Beijo Roubado (Dir. Duílio Cunha – 2007), Estrelas ao Relento (Dir. Eliézer Rolim – 2007), Vereda da Salvação (Dir. Cristina Streva – 2008). No cinema Suzy participou das seguintes produções: A narrativa Sintomática de Constantino (Carlos Dowling – 2000), A Inesperada Visita do Imperador (Gilvan de Brito – 2003), O Sonho de Inacim (Eliézer Rolim – 2005) e recentemente o longa-metragem pernambucano “Era uma vez Verônica” de Marcelo Gomes. Idealizou e produz desde 2005 o Café em Verso e Prosa. Projeto que gerou sua pesquisa sobre o corpo do ator na récita poética. Com a direção de Servílio Holanda ganhou os prêmios de 1º lugar e Melhor Intérprete no VI Poesia Encenada do Sesc de 2010. Atualmente compõe o elenco de Retábulo novo espetáculo do Grupo Piollin de Teatro com direção de Luíz Carlos Vasconcelos.

O blog da atriz: http://www.qsejadoce.blogspot.com/

quinta-feira, 17 de março de 2011

CURTINAS com a CIA. dos TRUQUES


Café em Verso e Prosa volta em 2011 com novo formato


Março, mês em que se comemora o dia da poesia, - e do teatro e do circo, vale também lembrar - se dá a cada ano o inicio das atividades do Café em Verso e Prosa, sarau organizado pela atriz Suzy Lopes desde abril de 2005 e que já faz parte do calendário literário, cultural e atrativo da cidade. A organizadora conta que este ano o evento vem renovado em seu formato, mesmo que mantenha o mesmo estilo, “acho que depois de cinco anos, precisava dá uma renovada no formato do evento para que não caísse na mesmice do time que se está ganhando e não se mexe, pois eu achei que por mais que estivesse ganhando, já que é um evento consolidado na cidade, precisava ser mexido e foi o que fizemos para que continue agradando a todos que prestigiam o evento há mais de cinco anos.” Será mantido a mesma estética: poesias espalhadas por mesas, varal com poesias, e o bom humor da apresentadora, “apenas acrescentamos dentro da programação do ano novas possibilidades.” Conclui Suzy Lopes.

A primeira edição do ano tem o nome de CURTINAS e terá como convidado a Cia. dos Truques. Formado pelo atores Suzy Lopes, Jorge Felix, Nyka Barros, Sávio Farias e Flávio Lira. Todos alunos do curso de Teatro do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal da Paraíba - UFPB.

A Cia. dos Truques surgiu em 2009, ainda no primeiro período da terceira turma do já citado curso, durante a graduação em teatro pela Universidade Federal da Paraíba e vem realizado desde então, dentro e fora da universidade, uma pesquisa da arte teatral contínua, focando sua investigação e pesquisa na produção de uma poética cênica eclética, a partir da colaboração entre seus membros, na criação de experimentos e performances teatrais. Desta forma, a Cia dos Truques busca ver o teatro como palco para o debate de idéias através da abordagem de questões pertinentes ao contexto histórico, político-social e a busca por uma interpretação com contemporaneidade e multiplicidade de linguagens dialogando constantemente com as inovações técnicas e estéticas do seu tempo. O grupo de atores universitários traz para o palco do Café em Verso e Prosa, nesse próximo sarau, Curtinas, constituído por diversas cenas curtas cômicas. Através deste experimento o grupo pretende dar continuidade às pesquisas que vêm realizando, como forma interpretativa, estilos e estéticas de encenação, musicalidade da cena, comicidade e interação com o público, bem como a utilização de espaços alternativos para suas apresentações. Em Curtinas o Grupo se inspirou no formato do já conhecido Terça Insana. Assim, serão apresentados diversos personagens pelos atores da companhia. A produção do evento conta que essa é uma das mudanças no formato do evento: ter esquetes teatrais e não só recitação, dando continuidade a uma busca pela junção do evento de teatralizar poesias e também textos curtos.

É valido lembrar ainda que o Café em Verso e Prosa já começa o ano em comemoração, pois teve um projeto aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura de João Pessoa, para que fosse montado ainda este ano, um espetáculo com poesias e músicas inspiradas na obra de Berthold Brecht, Arthur Rimbaud, Umberto Eco, Joseph Chaikin, Charles Baudelaire, Samuel Beckett, Vladimir Maiakóvski, dentre outros autores, que terá a direção do professor da UFPB José Tonezzi, continuando e estilizando, assim, o estudo e a prática da récita poética desenvolvidos pela atriz Suzy Lopes, ao longo desses cinco anos de atividades do Café em Verso e Prosa.

Não deixe de conferir! O sarau ‘Café em verso e prosa’ acontece dia 22 de março, às 20h30min, no Empório Café, em Tambaú, por trás da Feirinha. A entrada é gratuita. Maiores informações: (83) 8801-8533.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

ÚLTIMO DO ANO DE 2010


Valeu 2010 por todas as edições do sarau, foram muito especiais todas!
Suzy Lopes

Nara Limeira, Gustavo Limeira e Matteo Ciacchi

Até a volta em março de 2011...

Jéssier Quirino
Linaldo Guedes, Ivaldo Gomes e Cia.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

FOTOGRAFANDO POESIAS PARA ENCERRAR 2010!


ENCERRANDO 2010 COM MUITA POESIA


O Projeto Café em Verso e Prosa encerra suas atividades de 2010 nesta terça-feira, 16 de novembro às 20:30. Como tem acontecido nos cinco anos de existência do projeto, o último sarau do ano é sempre uma retrospectiva de todos os poetas que passaram pelo palco do Empório Café ao longo do ano.

Em 2010 passaram pelo Café em Verso e Prosa as poesias de Alice Ruiz, Linaldo Guedes, Janice Japiassu, Zé Limeira e Manoel de Barros. Com participações especiais dos poetas Linaldo Guedes, Lau Siqueira, Antônio Mariano, Ed Porto e do também jornalista Carlos Aranha, dos atores Thardelly Lima e Daniel Porpino, das cantoras Érica Maria e Mira Maya. O grupo Teatrália também foi um dos convidados de 2010 e voltará nesta terça-feira para encerrar o ano junto com a atriz Suzy Lopes que é idealizadora, produtora e apresentadora do evento.

A participação do Tatrália na edição de setembro marcou a volta do grupo, do qual a atriz Suzy Lopes participou na sua fundação, por volta de 1999, junto com Dôra Limeira, Wilma Albuquerque, Sônia Sales e outros. O grupo renova-se com a participação de outros integrantes, porém com a mesma proposta de leituras poéticas em pequenas encenações. Várias gerações se encontram no palco e, uma das inovações do grupo é a atuação de músicos fazendo, ao vivo, as intervenções sonoras. Em sua formação atual está Suzy Lopes, Nara Limeira, Elba Góes, Carlos Araújo, Ivo Limeira e Matteo Ciacchi.

Este trabalho nasceu por provocação do fotografo Ricardo Peixoto, a partir de um convite para uma atuação poética em um evento da Agência Ensaio, o projeto Lambe-lambe deste ano. Daí brotou a idéia de retomar o grupo Teatrália, e, inevitavelmente, o pretexto da leitura do livro Ensaios Fotográficos, de Manoel de Barros. “O processo de montagem foi um deleite poético, viramos todos manoelitos. Criei o adjetivo para designar os componentes do grupo, fãs e leitores vorazes de Manoel de Barros”, conta Suzy Lopes.

O Teatrália é um laboratório poético: leitura, encantamento, performance, música, enfim. Toda a inquietação trazida pelas artes possa e deve desaguar no Teatrália. Por outro lado, o grupo alimenta-se desta inquietação para buscar na arte, o seu equilíbrio. Além disso, vale ressaltar que o grupo experimenta a novidade da intervenção musical, ao vivo. Assim farão a abertura da noite com a performance “Ensaios fotográficos” criada do livro com o mesmo título de Manoel de Barros. Então o microfone será entregue aos freqüentadores para recitarem poesias de sua autoria ou de seus poetas preferidos.

Outra atração da noite será realizada entre Suzy Lopes e Gustavo Limeira, com a poesia “diz, perdida” de autoria do próprio Gustavo. A atriz também apresentará “Xícara de Chá, Colher de Açúcar” de Valmir Neves que lhe deu os prêmios de Primeiro Lugar e Melhor Interprete no VI Poesia Encenada do Sesc este ano. “Fiquei muito feliz com o prêmio, pois é um reconhecimento do meu trabalho, além do mais tive a brilhante e sensível direção do ator Servílio Holanda.” conta Suzy Lopes que adianta também que será estendido o varal como em todas as edições, assim como as poesias pelas mesas.

O sarau ‘Café em verso e prosa’ acontece nesta terça-feira, 16 de novembro, às 20h30, no Empório Café, em Tambaú, por trás da Feirinha. A entrada é gratuita. Maiores informações 8801-8533. Não perca, pois será a última edição de 2010, agora volta apenas em março de 2011.

sábado, 2 de outubro de 2010

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS / TeAtRáLiA

Foi muito mágica a noite que estivemos assistindo ao TeAtRáLiA no Empório Café.
Após serem anunciados, entraram cantando, dançando e saíram plantando Manoel de Barros.






                                            Exposição: MATTEO CIACCHI

sábado, 25 de setembro de 2010

ENSAIOS FOTOGRÁFICOS / TeAtRáLiA

                                                                (Arte: Matteo Ciacchi)

  ENSAIOS FOTOGRÁFICOS e TeAtRáLia no ‘Café em verso e prosa’

             Neste final de setembro de 2010, o sarau ‘Café em verso e prosa’ será marcado por um festival de imagens trazidas pelo poeta mato-grossense Manoel de Barros, especialmente no seu livro Ensaios Fotográficos. O sarau acontecerá na próxima segunda-feira, dia 27 de setembro, em razão dos acontecimentos políticos que tomam conta da cidade na última semana de campanha eleitoral.
            Este evento marca a volta do grupo Teatrália, do qual a atriz Suzy Lopes participou na sua fundação, por volta de 1999, junto com Dôra Limeira,Wilma Albuquerque, Sônia Sales e outros. O grupo renova-se com a participação de outros integrantes, porém com a mesma proposta de leituras poéticas em pequenas encenações. Várias gerações se encontram no palco e, uma das inovações do grupo é a atuação de músicos fazendo, ao vivo, as intervenções sonoras.
             Este trabalho nasceu por provocação do fotografo Ricardo Peixoto, a partir de um convite para uma atuação poética em um evento da Agência Ensaio, o projeto Lambe-lambe deste ano. Daí brotou a idéia de retomar o grupo Teatrália, e, inevitavelmente, o pretexto da leitura do livro Ensaios Fotográficos, de Manoel de Barros. “O processo de montagem foi um deleite poético, viramos todos manoelitos. Criei o adjetivo para designar os componentes do grupo, fãs e leitores vorazes de Manoel de Barros”, conta Suzy Lopes.
            O sarau ‘Café em verso e prosa’ acontece nesta segunda-feira, 27 de setembro, às 20h30, no Empório Café, em Tambaú, por trás da Feirinha. A entrada é gratuita. Maiores informações 8801-8533.
            Manoel de Barros nasceu em Cuiabá – MT, em 1916. Atualmente, mora em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Publicou seu primeiro livro em 1937, “Poemas concebidos sem pecado” e até hoje são quase 30 livros de poesia e muitos prêmios, homenagens e o reconhecimento de que se trata de um dos maiores poetas brasileiros. Manoel de Barros está vivo e produzindo muito. Seu livro mais recente saiu este ano de 2010 e é o “Menino do mato”. Manoel de Barros é partidário de uma poesia simples, apaixonante e que fala do homem integrado à natureza, sem esquecer das relações sociais e das angústias deste homem frente às questões como fome, pobreza, exclusão social e outros. O poeta é um homem enigmático, um homem que se desvela pelas palavras, entretanto, mesmo assim, mantém o mistério. Ou seja, como ele mesmo se define: “Me exibo através de ficar sob as cinzas. Sou sempre uma pose falsa tirada no escuro. Me exibo de costas. Eu faço o nada aparecer.” Sua prática de conceder entrevistas por escrito transformou a entrevista num gênero literário tão digno quanto qualquer outro. A editora Leya de São Paulo acaba de lançar sua ‘Poesia completa’ contendo todos os livros de poemas desde 1937, quando lançou os ‘Poemas concebidos sem pecado’, até o ‘Menino do mato’, de 2010, passando por toda a sua obra, inclusive os infantis, que são 4 livros. Dentre eles, para citar alguns, estão: ‘Compêndio para uso dos pássaros’ (1960), ‘Gramática expositiva do chão’ (1966), ‘Arranjos para assobio’ (1980), ‘Concerto a céu aberto para solo de ave’ (1991), ‘Ensaios fotográficos’ (2000), ‘Tratado geral das grandezas do ínfimo’ (2001) e os infantis ‘Exercício de ser criança’ (1999), ‘Poeminha em língua de brincar’ (2007), dentre outros.
               O Teatrália é um laboratório poético: leitura, encantamento, performance, música, enfim. Toda a inquietação trazida pela artes podem e devem desaguar no Teatrália. Por outro lado, o grupo alimenta-se desta inquietação para buscar na arte, o seu equilíbrio. Além disso, vale ressaltar que o grupo experimenta a novidade da intervenção musical, ao vivo.
               Na noite de 27 de setembro, haverá uma exposição do músico/desenhista Matteo Ciacchi, ele mostrará uma parte da sua produção com exposição dos seus desenhos. A arte do cartaz deste evento é autoria de Ciacchi.

QUEM SÃO OS TeAtRáLiA?







sexta-feira, 24 de setembro de 2010

JANICE JAPIASSU "Pastora dos sonhos"

            O Café em Verso e Prosa teve em sua edição de agosto de 2010, a poesia de Janice Japiassu. Com performance e produção da atriz Suzy Lopes, no Empório Café na praia de Tambaú.
           Janice Japiassu nasceu em Monteiro, estado da Paraíba em 23 de agosto de 1939. Residiu em várias cidades do sertão Paraibano e Pernambucano até ir para o Recife em 1960. Cursou Filosofia na UFPE. Tem curso de especialização em Filosofia e mestrado em Educação. Trabalhou durante muitos anos em educação na SUDENE. Escreveu seu primeiro livro de poesias em 1964.
         Suzy Lopes conta que passou uma tarde na casa da poetisa na Ilha do Retiro, no Recife, onde a mesma muito bem humorada contou-lhe como foi que começou a escrever poesias. Ainda no curso de filosofia na UFPE, era aluna de Ariano Suassuna, e foi o mesmo que percebeu sua veia poética. “ele dizia: Janice, por que você não escreve poesia? eu resistia, e ele insistia, -deveria, pois você escreve muito bem-. Aí ele mesmo tratou de me ensinar fora das aulas as regras da escrita poética.” “ depois que eu aprendi, não parei mais”. “Janice é uma pessoa maravilhosa e muito bem humorada, fiquei apaixonada por ela, sua poesia e seus desenhos, pois seus livros são todos cheios de desenhos que ela mesma faz. Foi um dos grandes encontros da minha vida essa tarde com essa linda poetisa” conclui Suzy Lopes.
         Janice escreveu os seguintes livros: Canto Amargo (1970), Sete Caderno de Amor e de Guerra (1970), O Dardo e o Pasto (1970), As Andanças do Divino ( 1974), As Veredas da Alegria (1978), O Reino das Águas (1982), As Quatro Estações da Lua Nova (1985), Com Todas as Letras (1997), Tarô (2000), A Paixão Segundo Madalena (2001), As Quatro estações da Lua Nova, poesia para crianças (2001), Contracantos (2002), O Circo do Astros (2004).
        Suzy conta que sua performance contará também com uma música do compositor pernambucano Cláudio Noah fez com uma poesia de Janice. “Foi o próprio Cláudio que me apresentou a poesia da Janice”
        Suzy Lopes é atriz e aluna do curso de teatro da UFPB, organiza o sarau desde abril de 2005. e está atualmente ensaiando um espetáculo com Grupo de Teatro Piollin com estréia prevista para outubro do ano corrente.
        O sarau recebeu da Câmera de Vereadores da cidade de João Pessoa um voto de aplauso por seus cinco anos.
                                          JANICE JAPIASSU

JANICE JAPIASSU e a atriz SUZY LOPES


JANICE JAPIASSU e o compositor pernambucano CLAUDIO NOAH


O SARAU





video



quarta-feira, 22 de setembro de 2010

LINALDO GUEDES


CAFÉ em VERSO e PROSA com  ARTISTAS de CAJAZEIRAS

Festejando a poesia do poeta paraibano Linaldo Guedes, Suzy Lopes fará o sarau de Julho. Ela não comemora só a poesia do poeta paraibano, mas também os dois prêmios que conquistou no VI Poesia Encenada do SESC este ano. A atriz conquistou com a poesia “Xícara de chá, colher de açúcar” de Walmir Neves o primeiro lugar e melhor intérprete, a performance foi dirigida pelo ator Servílho de Holanda do Grupo Piollin, do qual ambos fazem parte.

A noite será aberta com uma performance da atriz Suzy Lopes com poesias de Linaldo Guedes, participação do ator Thardelly Lima e do homenageado. A atriz conta que a performance foi criada a partir do livro de Linaldo “Os Zumbis também escutam blues”. E a noite terá a participação de, além do próprio poeta, do ator Thardelly Lima, que também irá recitar a poesia “Poema Narcisista” que deu nome a noite do sarau. Poema este que o ator recitou no último lançamento da Antologia poética do Sebo Cultural.




A maior coincidência da noite, é que os três artistas nasceram em Cajazeiras. Então a noite será dos filhos de Cajazeiras. “Para mim é uma grande emoção homenagear Linaldo por todo o respeito que tenho por ele como pessoa, poeta e jornalista. E também ter em cena comigo um grande ator como Thardelly, que além de parceiro da arte é meu irmão de coração. Estou muito contente com essa noite dos filhos de Cajazeiras”

Linaldo Guedes nasceu em Cajazeiras. É poeta, tendo publicado seu primeiro livro “Os zumbis também escutam blues e outros poemas” em 1998. Lançou, ainda, o livro Intervalo Lírico. Tem poemas seus incluídos em vários sites de literaturas. Lançou, ainda, “Singular e Plural na poesia de Augusto dos Anjos” (ensaio, Editora A União, 2000) e co-organizou os livros “Correio das Artes, 50 anos”, volumes de Poesia e Contos (Editora A União 1999) e “Diálogos” (Editora Aboio, 2004). Seu nome está incluído como verbete na Enciclopédia de Literatura Brasileira, organizada por Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa. Foi editor do suplemento literário   Correio das Artes.

Suzy Lopes atua no teatro profissional desde 1995, e cursa Bacharelado em Teatro pela Universidade Federal da Paraíba. Esteve no elenco dos seguintes espetáculos: Vento do Amanhecer em Macambira,   Morte E Vida Severina, Dor, Suor E Sangue, Auto De Deus, Cuscuz Bondade, As Esposas, Chapeuzinho Amarelou, O Auto De Deus, ”Espelho, Espelho Meu...”, Vila Cazuza, Gota D’agua, Beiradas Do Mar, Beijo Roubado, Estrelas Ao Relento, Vereda Da Salvação, Cabaré, Ópera Do Chico. Atualmente está ensaiando com o Grupo de Teatro Piollin, Retábulo, estréia prevista para outubro deste ano com direção de Luiz Carlos.
Thardelly Lima é formado pela Universidade Federal da Paraíba em Arte Cênica, fez especialização em Interpretação Teatral pela mesma instituição e atua como ator desde 1999, atuou nos seguintes espetáculos: Trinca mais não quebra, Olga Benáreo Prestes, Cordel da Paixão de Deus, O circo imaginário, De Já Vu, A Saga de Zacarias, A Gaivota (Alguns Rascunhos), Uma história de Amor nas beiradas do Mar, A Farsa do Poder e A Farsa da Boa Preguiça.